• Naiara Fracaroli

Saque extraordinário do FGTS

A partir desta quarta-feira, dia 20, os trabalhadores nascidos em janeiro poderão fazer o saque extraordinário de até R$ 1 mil do Fundo de Garantia do Tempo de Serviço.


Concedida a TV Tem, afiliada da Globo, confira mais sobre este assunto abordado em entrevista com a nossa economista Naiara Fracaroli:


''A liberação do recurso ocorre por meio de uma medida provisória assinada pelo presidente Jair Bolsonaro no dia 17 de março e faz parte do Programa Renda e Oportunidade, que inclui antecipação do 13º para aposentados e pensionistas do INSS, crédito para microempreendedores, empréstimos consignados para quem recebe benefícios assistenciais, como o Auxílio Brasil, e vai injetar mais de R$ 160 bilhões na economia. O objetivo da medida é reduzir o comprometimento da renda e endividamento das famílias em função da crise sanitária provocada pela Covid-19.

Todos com conta vinculada do FGTS, ativa ou inativa, poderão sacar até o dia 15 de dezembro, sendo que o saque é facultativo. Caso o trabalhador não tenha interesse, pode indicar que não deseja receber e, para isso, deverá acessar o aplicativo FGTS ou se dirigir a uma das agências da Caixa Econômica Federal.


Fonte: gov.br

De acordo com a Caixa Econômica Federal, estima-se que cerca de R$ 30 bilhões serão liberados com o saque extraordinário para aproximadamente 42 milhões de trabalhadores.

Esse recurso pode ser utilizado para pagar dívidas, mas também é indicado para reservas de segurança. Ao retirar do fundo de garantia, há diversas opções de investimentos que proporcionam uma rentabilidade bem maior que o FGTS, até mesmo a poupança, aplicação com menor rendimento, mas que já possui um retorno maior, pois remunera TR (Taxa Referencial) mais 6% ao ano (atualmente cerca de 6,9% ao ano), enquanto o FGTS apenas TR mais 3% ao ano, que dará 5,65% ao ano. Essa remuneração não cobre nem mesmo a inflação atual.

Investimentos como CDB e Tesouro Direto são excelentes opções. Remunerados a partir da taxa Selic, que atualmente está em 11,75% ao ano e tende a subir. Porém, ao decidir pelo investimento, deve-se ficar atento a data de resgate. Há opções para resgates imediatos, uma vantagem para aqueles que podem precisar dos recursos para possíveis emergências, valor que estaria inacessível se mantido no FGTS, utilizado apenas em casos de demissões, aposentadoria ou aquisição de imóvel.''


Economista Naiara Fracaroli

Sócia/Consultora da Fabri Consultoria e ministrante da Fabri Academy


24 visualizações0 comentário